Fatores De Risco Para Cistos Ovarianos

Fatores De Risco Para Cistos Ovarianos

Uma mulher pode desenvolver cistos ovarianos em qualquer fase da sua vida, mesmo no √ļtero. Podem ocorrer tr√™s tipos de cistos ovarianos, sendo os cistos fisiol√≥gicos os mais comuns (aqueles que se desenvolvem como resultado de flutua√ß√Ķes hormonais femininas habituais). Os cistos fisiol√≥gicos geralmente n√£o requerem tratamento, porque eles se resolvem espontaneamente e n√£o possuem fatores de risco. As neoplasias benignas e cistos cancerosos ocorrem com menos frequ√™ncia.

Cistos ovarianos não cancerígenos

N√≠veis elevados de horm√īnios em mulheres gr√°vidas podem fazer com que sua filha em crescimento tenha cistos em seus ov√°rios, mesmo antes do nascimento. A maioria dos cistos ovarianos do feto desaparecem antes do nascimento e dos que permanecem no momento do nascimento, 90 por cento resolvem espontaneamente quando o beb√™ tem 3 meses de idade.

Cada m√™s, o ciclo menstrual normal causa altera√ß√Ķes nos n√≠veis hormonais. Na fase folicular do ciclo menstrual, podem formar-se cistos benignos simples. Ap√≥s a ovula√ß√£o, o corpo l√ļteo (a casca do fol√≠culo que continha o ovo ovulado) forma um cisto simples. Os cistos complexos mas benignos tamb√©m podem ser formados como resultado desses processos normais. Como as altera√ß√Ķes hormonais normais causam esses cistos, o √ļnico fator de risco para seu desenvolvimento √© ser uma mulher. Os cistos simples cont√™m apenas fluidos; Cistos complexos podem conter material s√≥lido.

O aspecto mais importante a lembrar sobre cistos de ov√°rio √© que eles n√£o requerem remo√ß√£o cir√ļrgica. O tempo e, em alguns casos, os medicamentos, s√£o os melhores tratamentos para cistos ovarianos benignos. Consulte seu m√©dico se voc√™ tiver d√ļvidas sobre este t√≥pico.

c√Ęncer de ov√°rio

O c√Ęncer de ov√°rio √© a principal causa de morte por c√Ęncer em mulheres, com quase 15 mil mortes por ano. A melhor ferramenta para diagnosticar ou suspeitar que o in√≠cio do c√Ęncer seja um ultra-som pelviano com avalia√ß√£o do fluxo do c√≥lon. Este estudo √© melhor do que uma tomografia computadorizada (tomografia computadorizada) ou resson√Ęncia magn√©tica (resson√Ęncia magn√©tica).

O problema √© que a maioria desses c√Ęnceres s√£o detectados em est√°gios avan√ßados, geralmente s√£o tr√™s ou quatro. N√£o h√° fatores de risco reais, mas h√° alguns fatos interessantes que devem ser levados em considera√ß√£o. A p√≠lula contraceptiva oral realmente tem um efeito protetor na incid√™ncia de c√Ęncer de ov√°rio. Dez anos de uso cont√≠nuo de OCP podem reduzir o risco de desenvolver c√Ęncer de ov√°rio em 60%.Al√©m disso, quanto mais crian√ßas uma mulher tem, menor o risco de c√Ęncer de ov√°rio. O consumo de √°lcool n√£o afeta essa porcentagem, comparado ao c√Ęncer de mama, o que aumenta o risco de c√Ęncer de ov√°rio. Existe uma forte associa√ß√£o com a fam√≠lia para o desenvolvimento deste tipo de c√Ęncer. Se uma mulher √© transportadora do gene do c√Ęncer, os genes BRCA1 ou BRCA2 teriam uma chance de 15% e 40%, respectivamente, de desenvolver c√Ęncer de ov√°rio.

A linha inferior é, quanto mais cedo o diagnóstico, maior a chance de sobrevivência.

Vídeo Tutorial: Cisto no ovário: causas, sintomas e tratamentos.


Como Este? Compartilhe Com Seus Amigos: